RevisTTa

(MOMENTOS ETERNOS)

  Evita

(Ópera , Cinema e Música )

Edição TTNeves - Arte Rivkah

Editorial

Uma vida tão cheia de vida.
Uma vida tão cheia de História na essência da palavra.
Uma vida que gerou,inspirou Ópera, Filme, Espetáculos Teatrais, Musicais.
 
Maria Eva Duarte,Eva Peron que preferia ser chamada de Evita
como o povo a batizou.
 
Foi adorada, odiada.
Não havia meio termo para defini-la
 mas, jamais a indiferença.
 
Uma mulher que rompeu todos os precedentes históricos,
definiu uma modalidade política nunca vista até então.
Até hoje, como fosse uma lenda
gerando contradições e muita emoção.
 
Setembro de 2006
Maria Thereza Neves
 
Poetas
Naldo Velho/Alberto Peyrano/Aldemiro Sampaio/J.B.Xavier/Regina O./Paixão89/Ligia Tomarchi/Gustavo Dourado/Ferool/ YaraNazaré/ Marcos Milhazes/Cleuza Matias Nogueira/Olga Kapatti K./Eliane Gonçalves/Thais S Francisco/Thereza Mattos/OlhosDe£in¢e/Teca Miranda/ José Carlos (Poeta Londrino)/Victor Jerônimo/Criszinha/Faffi/Elisa Santos/Avany Moraes/Águida Helttwe/Miriam Brandão/Elton Diniz Pacheco/Neila Costa/Andre Luiz de Aquino/Lu Oliveira/ Mercêdes Pordesu.

O DESCORTINAR DE UMA MULHER
Naldo Velho

Palavras alinhavadas,
Encadeadas, entrelaçadas,
Bordadas em versos,
Em rimas, poemas,
Revelam amores,
Descortinam verdades,
Fantasias e sonhos,
Mostram sem pudores
O ser que se abre?
Olhares atentos,
Procuras insanas,
São seus os meus poemas
E ainda guardo o seu retrato
Na cabeceira da cama.
Ao abrir-se a cortina,
Revelou-se a mulher,
Perfume suave,
Olhar corajoso,
Muitos medos, temores,
Tênue contradição,
Muitas faces, disfarces,
Camuflagens, peçonha.
Seu veneno é a cura,
Cicatriza meus cortes,
Abre novas feridas,
O que se há de fazer?
Te quero assim feito esfinge,
Que por ter a coragem
De mostrar-se inteira,
Revelou-se um enigma,
Um jogo de muitos enganos,
Que pobre de mim ainda menino,
Não consegue entender.
Ainda bem que o tempo
É meu cúmplice e parceiro,
Quem sabe um dia eu aprenda
E possa enfim ser digno de você.

Um pouco da sua história

Maria Eva Duarte nasceu em Los Toldos, província de Buenos Aires, em 1919. Ela, sua mãe - Juana Ibarguren - e seus quatro irmãos formavam a família irregular de Juan Duarte, que morreu quando Evita tinha seis ou sete anos. Nessa época, mudaram-se para Junín, onde Eva permaneceu até 1935.
Sentia-se asfixiada pelo ambiente de cidade do interior e então, com apenas 15 anos, decide se mudar para Buenos Aires em busca de ser atriz. Sozinha, sem recursos nem educação, enfrenta-se com um mundo hostil e difícil, cujas regras desconhece. Mas triunfa: chega a ser atriz de certo nome, apesar de não ter maiores dotes teatrais, a sair em capas de revistas e a encabeçar um programa de rádio muito escutado.
Mas seu destino era outro. Em janeiro de 1944, Eva Duarte conhece o coronel Juan Domingo Perón num festival que a comunidade artística realizava em benefício das vítimas de um terremoto que havia destruído a cidade de San Juan poucos dias antes.
No mês seguinte, já estavam morando juntos e dois anos mais tarde regularizam a relação, contraindo matrimônio numa cerimônia íntima e que não transcende ao público.
 
TANGO SIN FINAL
 Alberto Peyrano

    
Fue sólo tu canción
que abrió mi corazón
al rayo de tu sol,
al mar de tu emoción.
Unidos navegamos
las aguas del deseo
y juntos caminamos
los años, los anhelos.

Fue un tierno despertar
sin sombras, con tu luz,
y en tu alma yo inspiré
un tango sin dolor,
un tango que no cesa,
un tango que aún prosigue,
un tango tuyo y mío:
un tango sin final.

Le diste a mi vivir
las ganas de crecer
en brazos de tu amor
y el tango comenzó.
Con versos encendimos
allá en la madrugada
el faro que alumbraba
la senda que seguimos.

En este atardecer
el tango vuelvo a oír
y encuentro tu mirar
en el viejo rosal.
Estás en mi horizonte,
en todos mis instantes,
y mi alma está cantando
un tango sin final.

Un tango sin final en nuestra vida
nos dice que los sueños no terminan;
a su compás permanecemos juntos
aun cuando el invierno se aproxima.

Poco a poco las hojas sobre el suelo
van danzando esta música en la tarde.
Yo cierro mis ventanas al desvelo
y me reencuentro en tango con tu amor

Em fevereiro de 1946, após uma campanha eleitoral na qual a presença de Evita foi marcante, Perón é eleito presidente. A oposição transferiu a ela a antipatia e a rejeição que sentiam por Perón. A ascenção vertiginosa "dessa mulher" foi para esses argentinos um motivo mais de repúdio.
No seu papel primeira-dama, Eva Perón desenvolveu um trabalho intenso, tanto no aspecto político quanto no social. No que diz respeito à política, trabalhou intensamente para obter o voto feminino e foi organizadora e fundadora do ramo feminino do movimento peronista. Esta organização se formou recrutando mulheres de distintas extrações sociais por todo o país. As dirigentes da nova agrupação receberam o nome de "delegadas censistas".
 
EU SOU O VERBO AMAR 
Adelmario Sampaio


Há dias como de vida
Que não ensinam sofrer
Há dias em que se morre
Pra que se ensine viver
Há medos proveitosos
Quando o passado vem ler
 
Outros que são bobos
Bocas de anoitecer

 Há caminhos estreitos
Pé no começo do andar
Há outros espaçosos
Convidando a parar
Há braços que são laços
Inimigos a estreitar
 
Há quem não saiba disso
Por não saber escutar
 
 
Há perdidos no caminho
Outros encontram lar
Há quem ria do choro
Que eu tento consolar
Há escuta nas paredes
Há barulhos pelo ar
 
Há quem saiba tudo isso
Medo de concordar
 
 
Há beijos do escuro
Treliças no confessar
Perdões de quem não têm
Não tendo como ofertar
Não tateio como cego
Disfarço pra flutuar
 
Há quem conheça por isso
Que sou o verbo amar

No aspecto social seu trabalho se desenvolveu na Fundação Eva Perón, mantida por contribuições de empresários e por doações que os trabalhadores faziam quando tinham uma melhora em seus salários. Criou hospitais, lares para idosos e mães solteiras, dois policlínicos, escolas, uma Cidade Infantil. Durante as festas de fim de ano distribuia sidra e panettone, socorria os necessitados e organizava torneios esportivos infantis e juvenis.
O outro bastão e talvez eixo principal de sua popularidade foi constituído em torno dos sindicalistas e da sua facilidade e carisma para conectar-se com as massas trabalhadoras, às quais ela chamava de seus "descamisados".
Eva Perón faleceu no dia 26 de julho de 1952, sendo ainda muito jovem, por ocasião de uma leucemia. A dor popular não a abandonou num velório que durou 14 dias, e não a abandonaria jamais. No imaginário popular, Evita é para muitos uma santa.
Quando escolhi ser "Evita" sei que escolhi o caminho do meu povo. Agora, a quatro anos daquela eleição, fica fácil demonstrar que efetivamente foi assim.

 
VALE A PENA SONHAR
MIRIAM BRANDÃO

Mesmo que o sorriso não lhe pertença,
mesmo que os abraços não sejam
para você,
vale a pena sonhar!
vale a pena quere te-los!

Mesmo que olhar não venha em
sua direção e aquele trejeito não
seja para você,
Vale a pena sonhar!
vale a pena olhar, mesmo sem querer!


Mesmo se aquela poesia romântica não foi
feita para você, se a música cantada
ou tocada não foi direcionada a você,
vale a pena sonhar!
vale a pena ler e ouvir!

Se as lágrimas que nascem naquele
rosto macio e perfeito não são por
sua causa, e se a fragrância ou o
suspirar profundo não são para você,
vale a pena sonhar!
vale a pena pensar em ser!

Sonhar em toda plenitude, sonhar até
que a lua não esteja mais no
firmamento, sonhar até que o perfume
das rosas deixe de ser exalados,
vale a pena sonhar!

Sonhe ...Sonhe muito... pois,

VALE A PENA SONHAR...


Ninguém senão o povo me chama de "Evita". Somente aprenderam a me chamar assim os "descamisados". Os homens do governo, os dirigentes políticos, os embaixadores, os homens de empresa, profissionais, intelectuais, etc., que me visitam costumam me chamar de "Senhora"; e alguns inclusive me chamam publicamente de "Excelentíssima ou Digníssima Senhora" e ainda, às vezes, "Senhora Presidenta". Eles não vêem em mim mais do que a Eva Perón.
 
SOPRO DE ESPERANÇA
Elton Diniz Pacheco

Sopra-me o vento, e faz-me sentir o
prenúncio de novas possibilidades.
As lágrimas que inundavam os olhos
fartos de angústia, a brisa suave do
teu amor secou.
Assim, atiro-me em um furação de
sentimentos, como a criança que se
lança às cegas do trampolim.
Avisado estou que posso me machucar.
Deste perigo, tenho ciência, e aceito.
O que a minha razão e o meu sentimento
sofrem violentamente, é o medo de perdê
-la ou a impossibilidade de têla para mim.
Sei também que o sopro que te compôe,
nesse, eu não posso confiar, pois, embora
me envolva de forma cálida e protetora, o
salitre da ingratidão de que são feitas todas
as brisas, pode ferir de morte o meu coração.
Contudo, inútil é a embarcação que não lanca,
aos ventos do oceano, as suas velas.
Embora o risco de rasgar, dilacerar ou destruir
o que me move esteja vivo, continuo avançando
entusiasmado a você.
Vejo que me cai melhor velejar em
situação tempestuosa, que ficar flutuando a
deriva no mar dos amargores.



Os descamisados, no entanto, só me conhecem como "Evita". Eu me apresentei assim pra eles, por outra parte, no dia em que saí ao encontro dos humildes da minha terra dizendo-lhes que preferia ser a "Evita" a ser a esposa do Presidente se esse "Evita" servia para mitigar alguma dor ou enxugar uma lágrima.

E, coisa estranha, se os homens do governo, os dirigentes, os políticos, os embaixadores, os que me chamam de "Senhora" me chamassem de "Evita" eu acharia talvez tão estranho e fora de lugar como que se um garoto, um operário ou uma pessoa humilde do povo me chamasse de "Senhora". Mas creio que eles próprios achariam ainda mais estranho e ineficaz.
Agora se me perguntassem o que é que eu prefiro, minha resposta não demoraria em sair de mim: gosto mais do meu nome de povo. Quando um garoto me chama de "Evita" me sinto mãe de todos os garotos e de todos os fracos e humildes da minha terra. Quando um operário me chama de "Evita" me sinto com orgulho "companheira" de todos os homens.

A jovem e ambiciosa Eva Duarte sonha tornar-se estrela de cinema, mas interrompe a carreira ao conhecer o general Juan Domingo Perón, a quem acompanha, como primeira-dama, quando ele assume a presidência da Argentina.
Um narrador, Ché, faz a voz do povo argentino ao longo da história, que retrata a trajetória de Evita na história da Argentina.
 
UNIVERSO EM DESENCANTO
J.B.Xavier


Quantas vidas terão que existir em mim,
Para morrer por ti...
E a quantas matarás com o teu olhar gélido?
Por quantas noites terei que esperar,
Por teu retorno?
Em quantas outras conversarei com estrelas,
Por tê-las
Como únicas companheiras de minha solidão?
Quando terei tua mão a acariciar meus cabelos,
Ou teu sorriso a acariciar meus sonhos?
Morro um pouco a cada vez que te afastas,
Deixo de existir e me anulo
A cada um dos teus enigmáticos sorrisos
Nessa tela surrealista
Deste amor insuspeitado,
Onde o universo é um brilho esperado
Do teu olhar,
Onde continuo a viver, e a respirar,
À espera de morrer assim,
Por ti,
Com quantas vidas ainda existirem em mim...
 
BREVE RESUMO DA ÓPERA:

É o dia 26 de julho de 1952. Um jovem estudante argentino, Che, é um dos espectadores em um cinema de Buenos Aires quando o filme é interrompido por um comunicado de que EVA PERÓN, "a chefe espiritual da nação, ingressou na imortalidade."

Quero Dançar com Você!
(Regina O.)


Quero dançar com você
Ver o dia amanhecer
Pela relva molhada correr
Viver meus sonhos
a bailar

Quero pela madrugada entrar,
 dançando com você

Quero em seus braços morrer
de tanto bailar
 Me afogar
nos seus braços
 Sentir seu corpo
de encontro ao meu

Quero imaginar
nós dois juntos, dançando,
a nossa canção
E com essa vibração,
de letra e canção,
unimos cada vez mais,
nossos corações,
gritando ao mundo,
o quanto é imensa
a nossa paixão

Deixa eu ficar assim,
nos seus braços exposta,
dançando essa dança só nossa

Deixa eu dizer nos simples passos
dessa nossa dança,
que meu corpo balança,
se ergue, se lança ao seu,

Enquanto nos seus braços,
você me carrega,
me sente,
se entrega,
no compasso de
mais uma
de nossas canções,
meu coração vibra
com tanta emoção


O funeral de Eva é majestoso, uma combinação dos magnificentes excessos do Vaticano e de Hollywood. (Réquiem for Evita). Vastas multidões, muita pompa, lágrimas e lamentos. Che é o único não-participante (Oh what a circus) - Ó que circo). Através de toda a ópera, o papel de Che é o de um comentador: porém, nada objetivo.

Novas rotas...

Peixão89

Uma nau, outra Ilha, um Jardim!

Vem, toma minha destra de novo
Nesse embarque entre ondas
Vislumbre o ponto futuro
Mesmo que detenha-se entre perdidos
Tens cá um mapa para desatinos
Há um lugar seguro e seco
Para relaxar o corpo
O mal estanca na enseada
Enquanto tens o bem no coração
Sim, erga a cabeça para estrelas
Fixe aqui nesse horizonte
Mas se quiser apenas relaxe
Se são parcas lembranças
Do último e melhor gozo
Relaxe ainda, logo avista a Ilha
Em meia noite de viagem
Desembarca-se no alvorecer
Na Ilha poderá sair apenas só
Acompanhada de teus pensamentos
Ou com esta turba corsária
Entre cantos e vinhos
Domine teus receios no ágora
Mas não deixe de valer seus desejos
Toda a brisa pelos cabelos
Todo o tempo para ti
E um coração para te aquecer.

Mas se quiseres outros rumos
A nau escura ainda segue viagem...


Volta a 1934. Um cabaré em Junin, cidade natal de Eva. Eva Duarte tem apenas 15 anos. Ela pede ao cantor que está se apresentando na casa, Agustín Magaldi, com quem teve um ligeiro caso, que a leve à cidade grande - Buenos Aires. Ele está relutante (Eva beware of the city - Cuidado, Eva, com a cidade), mas a jovem decide ir (Buenos Aires).

 
ALAGADOS
Ligia Tomarchi

Alagados mas secos de fé
nada esperam dos impostores empossados;
humanidade esquecida
nas urnas eletrônicas.

Fúria dos céus
um alerta aos mortais
inércia ancestral e real
de tantos carnavais.

Sem alegorias nem porta bandeiras
o povo apenas suporta as perdas;
dignidade, cidadania, fraternidade
afogadas na lama do descaso.

Arranham os céus alguns lares
protegidos por circuitos internos
esquecendo que os raios
podem os partir também;
mesmo que as águas não os alcancem!


Uma vez em Buenos Aires, rapidamente se desfaz de Magaldi e abre seu próprio caminho, através de uma série de homens, e cada qual a ajuda a subir mais um degrau da fama e da fortuna (Goodnight and thank you - Boa noite e obrigada). Ela se torna uma modelo de sucesso, conquistando também o rádio e o cinema.
 
Amor Universal
Gustavo Dourado

Amar verbo bitransativo
Deixa - Nus em transexualidade
O Sentimentoa transnorteia
No trânsito do pensamentom...saudade

Amar
Amargamassar Amarraizar
Amarrir Sofrer Sonharmonizar
Amar é Ser:
Eternuamente Amar...Viver

O Amor nuniversa e reversa
Ritmia pelo coração, navega
Sacode a alma, implode
Faz o corpo estremecer
De prazer dor emoção...

Amar e ser fraternu
Distribuir pax paixão
Amar a numanidade
Sem medor restr(a)ição
Ser solidário, amigo
Liberar sol solidão...

Ame sempreconceito
Faça bis no coito
Ame a mil e um por hora
Desperte o coração afoito...

Universalize-se ao dividir o pão,
Desconcentre a renda,
Cante Mulher Rendeira,
Sem eira nem beira,
Solte-se, livre-se, desprenda
Desacorrente-se da sexcravidão,
Ame game lume flame Phomem
Orgasme-se na tantransmutação


Che comenta a rápida ascensão de Eva ao apogeu (The lady's got potential - A dama se tornou poderosa). Mas no que toca a ele, o fato é que ele inventou uma novíssima fórmula de inseticida e isso tem um interesse muito maior. Ele nos apresenta o coronel Perón, um dos muitos militares chegados à presidência que nos últimos anos exibem posses acima de seus cargos.
 
 
Quisera!...
 Ferool

Quisera!!!

A palavra escorre em leito seco sem margens
ainda fluxos de humidades povoam a boca clamorosa
na recordação do areal roxo de beijos fundeados

Quisera!...
E o colo de espasmo ajardinado oferece movimentos de colheita
que ventos adversos aleijam na procura de mão mendigada
poeira fértil na indagação do aglomero em estação de espera

Quisera!...
Selo passado estampado num presente sem auroras - colado
no adormeço porvindouro acumulado em tempos ofendidos
que espera leitura recusando o desboto na vitrina enxugada

Quisera!...
Ânsia de futuros risonhos em olhos chamejados – espigas
ainda fervedouros no mármore carnal que nos vestidos espera
apanhos de ternura plantados nos seios cheios e maduros

Quisera!...
Que a alma viajasse em todas as letras soletradas em estrados
empilhadas em melodia sem intervalos nos baques côncavos
onde a luz crepita em cordéis não atados no incêndio desejado

Quisera!...
Que o arrumo dos arquejos encarvoados se dissipasse
e que a fúria que gelou o teu corpo em feiras indecisas
te trouxesse a palavra!...Queres? Que te cubra com o meu amor...


Num concerto beneficente, realizado para levantar fundos para as vítimas de um terremoto na Argentina (onde se apresenta o velho amigo de Eva, Magaldi), Eva e Perón se conhecem. Ambos compreendem que cada qual tem o que o outro deseja (I'd be surprisingly good for you - Eu seria surpreendentemente bom para você). Daqui em diante Eva lança suas ambições aos astros da política. Ela desaloja a mulher de Perón de seu apartamento (Another suitcase in another hall - Uma outra mala numa outra sala) e se joga na vida de Perón a tal ponto que provoca a ira extrema de duas facções que ficariam suas inimigas até sua morte - o Exército e a Aristocracia (Dangerous Jade - Rapariga perigosa).

 
Recuso-me a chorar
 Yara Nazaré

Recuso-me a chorar
Porque guardas a mágoa
Recuso-me a chorar...
Mesmo estando triste
Por te ver chorar.

Meu coração reclama
A alegria de antes
A vida era uma festa
Tudo em volta alegre
Risos vistos nas faces
Um brilho intenso no olhar.

Recuso-me a chorar...
Mesmo que a noite chegue
E que a chuva caia forte
Nublando as vidraças
Sem deixar notar
Como a vida é bela
Para quem se alegra
E só quer amar!


Che, por outro lado, vê o sucesso de Eva apenas como um saudável sinal de que os tempos estão mudando na Argentina, que qualquer pessoa, vinda de qualquer lugar, pode ter sucesso, desde que tenha
algo a oferecer, como inseticida.

 
Bar dos Sentimentos
 Marcos Milhazes

Se você me disser que me amas,
 acreditarei,
apenas pedirei para me servir
uma dose dupla desse sentimento.

Se você falar de saudades, vou crer,
apenas pedirei a dose certa
para que eu continue sóbrio.

Se você disser que para me ver faz milagres,
serei religioso ou devoto, mas,
apenas pedirei
que me sirvas uma dose cúmplice.

Se você me disser que a vida,
não tem cor sem mim,
acreditarei,
 mas lhe pedirei para me servir uma dose de matizes.

Se você fala que perde a voz ao me ouvir,
vou as alturas para escutá-la,
 porém te pedirei uma dose de razão.

Se você disser que sua paixão por mim é imensurável,
vou sentir-me nas nuvens,
 mas vou querer uma dose sem medidas.
Enfim.
Se você disser que será eternamente minha,
vou crer, mas lhe pedirei uma dose de presságio.

Já que depois de tantos tragos,
estarei ébrio,
e inebriado
de você.


Quando a situação política se torna ainda mais incerta, é mais Eva do que Perón quem determina que ele deveria tentar o mais alto prêmio da Argentina - a presidência, apoiado pelos trabalhadores, apoio esse que Eva e Perón cultivavam longamente (A new Argentina - A nova Argentina).

 
Magia
Cleuza Matias Nogueira

Quanta magia contida neste abraço
Quanta ternura neste ter olhar
Palavras ternas vindas dos teus lábios
Entrei em êxtase ao te escutar!
Meu coração de todo embevecido
Com os melodiosos sons do teu falar!

Que sensação estranha e diferente
Suavidade e paz jamais sentidas
É calmaria, é luz, e ao mesmo tempo
Uma revolução em toda minha vida.
Fiquei a perguntar intimamente
Se por você estava a ser querida!

Qual adolescente saltitante
Sonhei então com o "Príncipe Encantado"
Cheguei a devanear por um instante
Imaginei-me para sempre a seu lado
Afinal temos direito de sonhar
Pois desde sempre "o sonhar" não é pecado!

Porém chegou a hora, com certeza
De retornar à "terra" e viver
A dura realidade do momento
E vivenciar meus dias de sofrer
Pois és apenas um estranho
Encantador estranho que acabei de conhecer!


Sua ambição se realiza e do balcão da Casa Rosada, no dia da posse de Perón como presidente, as multidões dão a Evita, agora mulher de Perón, uma recepção maior do que a dada a Perón, graças ao seu emotivo e brilhante discurso e à sua admirável aparência (Don't cry for me Argentina - Não chore por mim Argentina).

 
Da Janela
Olga Kapatti K.

Vejo:
_ Gente sorrir,
gente  sofrer.
Crianças a brincar,
outras a morrer.

Vejo:
__ Homens na labuta ,
outros em luta.
Alguém , a outros salvando,
outros,  a alguém degolando.

Vejo:
__ O dia passar
e nada de Paz.
A esperança se esvaindo,
O antes , coração latente
e agora , Jaz.

Vejo discórdia.
Vejo disparate.
Vejo muito mais:
__Vejo tudo,
Vejo, chorando,
o que não queria ver!!!

Che pergunta a Eva sobre si mesma e seus sucessos, mas não obtém uma convincente resposta (High flying, adored - Em altos vôos, adorada). A principal preocupação de Eva é seu giro, vindouro pela Europa (Raimbow high - Alto arco-íris), que começa num resplendor de glória na Espanha, mas encontra tropeços na Itália e na França. Jamais consegue ir à Inglaterra (The raimbow tour - A viagem do arco-íris).

 
Quero Voar
Eliane Gonçalves

Hoje acordei querendo voar
Como a mais alta ave marinha
Contemplar meu universo
Olhar o mar revolto e não temer
Fitar minha presa com olhar fatal
Mergulhar
Ir até você
Ao te encontrar te elevar
Trazer você até às alturas
Te devorar todo
E depois sentir você dentro de mim
 
Hoje acordei com vontade de voar
Mas cortaram as minhas asas
Então vôo em meu pensamento
E num mergulho interior
Te trago até mim.
Nessa hora vôo até às alturas
E sinto-me dentro de você
A maior sensação que
Como mulher pude ter
...
O ápice do prazer!


Ao voltar à terra, Eva decide concentrar-se unicamente nos negócios da Argentina, estimulada pela crítica contínua da sociedade de Buenos Aires (The actress hasn't learned the lines you'd like to hear - A atriz não aprendeu os versos que vocês gostariam de ouvir). Che tenta apoio do governo para o seu mata-moscas, mas lhe é negado.

 
Ecos...Apenas Ecos
 Thais S Francisco "beijaflor"

No caminhar desta minha vida
Em busca de ti tenho vivido
Buscando resgatar meu Amor
Que contigo está

Canto o cantar do Amor
Busco em todas as partes
Grito teu nome ao vento
e como resposta
apenas ecos

Ecos de minha saudade
Ecos da dor que tua ausência causa
Ecos de minha voz
Chamando por ti

Onde estás, meu Amor?
Que o vento não te consegue encontrar
Levando minha voz que te chama?
Em qual mágico jardim te escondes
Para que eu como um beija-flor
possa amorosamente beijá-lo
e deixar em teu coração
todo o mel do meu
Amor!?...


Eva lança a fundação EVA PERÓN (The money kept rolling in - O dinheiro continua a jorrar), uma vasta preocupação não a isenta de crítica, embora ajude-a a eleva-lá quase ao status de divindade aos olhos de alguns dos beneficiados pelo Fundo - inclusive crianças (Santa Evita)..

 
Cercas e Muros
Thereza  Mattos

Minha estrada é longa e tortuosa
andei chutando as pedras dos caminhos
algumas nem sei porque, guardei comigo
vi árvores frondosas e belas
colocadas atrás de cercas com espinhos
e não pude sentar-me a sombra delas...

Segui sempre e sempre andando
cansada, mas sempre em frente
o sol minha fronte escaldando
pessoas deitadas na rede
atrás de cercas farpadas
vi muita água límpida e cristalina
mas por ficar calada
 não pude saciar a minha sede...

Olhei para todos os  lados
agora cansada e transpirando
estava num lindo e imenso prado
ao longe uma cabana acolhedora
com um cachorro e muito gado
a chaminé fumegando
algumas pessoas almoçando
olharam por um momento
mas me negaram alimento...

E assim, passo a  passo
cheguei ao fim de minha estrada
nunca no mesmo compasso,
porque me senti cansada...

Colhi flores de todas cores
frutos suculentos e  maduros
tudo com as minhas forças
lembrei de todos   os percalços
das barreiras e dos  muros
de Don Quixote e seus  moinhos
peguei as pedras que guardava
pois a gente até  precisa
das pedras  que acha pelos caminhos!

O desencanto de Che com Eva agora é total, graças, muito ao fracasso dos seus planos de inseticida. Ele ridiculariza os que a adoram e pela última vez tenta inquiri-la sobre sua motivação e o lado mais negro da administração Perón (Waltz for Eva and Che). A resposta de Eva é a do pragmático: "o mal está por toda parte, fundamental". Ela sentiu que está doente.

 
Caminhar a Dois...
OlhosDe£in¢e

Dois sorrisos
dois olhares ,
dois corações acelerados,
estremecem ao aperto de mãos.

Uma história de amor que se inicia,
um capítulo a desdobrar-se,
muitos momentos a construir,
muitas diferenças a compreender,
para muitos carinhos ganhar!

Do namoro a construção
de um alicerce rígido,
em que dois corações
se agrupam para um viver a dois!

Carícias ingênuas,
olhares iluminados,
abraços apertados,
arrepios de dois corpos
aquecidos pelo desejo,
de uma paixão instantânea,
em busca de um forte amor!

Em sintonia procuram,
a esteira de uma nova vida,
em um caminhar a dois!

Um sonho a realizar-se...

 

O sentimento anti-Eva entre os militares atinge novos níveis, mas Perón tenta justificar o domínio dela sobre a vida da Argentina. Ele também fala da doença que a aflige (She is a diamond - Ela é um diamante).
 
Alegria de te amar
 José Carlos (Poeta Londrino)


Alegria de te amar entre as sebes do destino
e aspirar os perfumes misteriosos do teu coração,
colher os teus sonhos como frutos doces de paixão
e percorrer por ti o desconhecido em desatino.

Alegria de te amar nas manhãs de cada dia
e renascer cristalino como o teu sorrir languidescente,
abrir a alma às auroras e esperanças florescentes
e entregar o pensamento aos desígnios da fantasia.

Alegria de te amar e existir por amor, amor somente,
vestir o universo como manto da tua saudade,
e desfilar resoluto a serena felicidade
de te amar, amar-te eternamente...



Perón e Eva discutem a piora da situação - ele está perdendo o controle do governo, ela perdendo força. Eva recusa ceder à doença e resolve se tornar vice-presidente (Eva's sonnet - Soneto de Eva) .

Mas a oposição a ela por parte do exército é muito grande; mais importante, o físico a abate. Ela sabe que está morrendo e fala à nação pelo rádio, recusando a vice-presidência, posição que ela sabe que jamais atingiria (Eva's final broadcasting - Fala final de Eva pelo rádio).

 
É tão Triste...
Victor Jerônimo

É tão triste sentirmos a vida sugada
não por qualquer problema da vida,
Mas por razões que sendo descabidas
são aparentemente desconhecidas.

É tão triste sentirmos essa alma
que rejubila e nos transmite calor,
Ficar aparentemente tão vazia
sem sequer alcançarmos o amor.

Quando nos apercebemos, então
sentimos o tempo a fugir em turbilhão
os sentidos desaparecem sem razão.

Quando enfim, olhamos nosso interior
meditamos se tudo valeu ou não,
Ou se a vida foi vivida em vão.

 

Em suas últimas horas, imagens, pessoas e acontecimentos de sua vida fluem pela mente de Eva, enquanto a angústia da nação não tem limites - para a massa da população ela se tornou uma santa, nada menos. À medida que sua vida vai chegando ao fim, ela cogita se não teria sido mais feliz como uma obscura pessoa comum. Quem sabe, assim, sua vida teria sido mais longa ... (Lament - O lamento de Eva).
ENFIM ... VOCÊ !! 
Criszinha

Hoje a vida me sorri.
O que eu achava perdido,
Estava apenas adormecido,
Só esperando você chegar.

Você chegou e ficou.
Ao te encontrar me reencontrei.
E só então pude entender,
Que ainda era possível amar.

Mas amar você é fácil.
Deus te fez de amor e bondade.
O que mais posso fazer,
Para não mudar esta realidade.

 Tudo me parece um sonho.
Mas sei que você existe.
Falta apenas um detalhe,
Pois a distância ainda persiste.

 Já havia me esquecido,
Como eram lindas as noites de Luar.
Mas agora junto a você,
Espero o anoitecer, para poder admirar
 
Quantas loucuras já fizemos,
E no amanhã não quero pensar.
Pois desde que te encontrei,
Nada mais fiz, a não ser te amar...


Mesmo na morte, porém, a obscuridade lhe é negada. No momento em que ela morre, os embalsamadores se movem a fim de preservar seu frágil corpo para ser "exibido para sempre".

Òpera baseada na vida de Eva Perón (Maria Eva Duarte Perón), 1919-1952

Música de ANDREW LLOYD WEBBER
Letras de Tim Rice


Evita- Filme

... "Esse é o papel que eu nasci para interpretar. Coloquei tudo de mim nisso porque eu estava interpretando uma mulher muito parecida comigo mesma. Eu estava fisicamente e emocionalmente exausta e tendo enjôos por causa da gravidez. Mas eu tenho muito orgulho de Evita, mais do que o restante de coisas que eu fiz.” ... Madonna.

Também morri!

faffi..

Hoje acordei cansada

Sentindo o peso da vida em mim

Será que morri...

Ou o gosto da vida morreu em mim?

Sinto que entre o céu e a terra

Têm uma paz profunda...

Porque essa paz não vem pra mim?

A paz é a verdade que a alma acalma

Que o coração faz bater

Que não nos deixa morrer

É o oxigênio que nos faz renascer

Onde achar essa paz

que tanto preciso pra poder viver...

Será em você ?

Madonna durante as gravações do filme “Evita” fez um diário que foi publicado tempos depois na revista Vanitty Fair, com ele nós ficamos sabendo de todas as dificuldades pelas quais ela teve que passar até encontrar um ponto de equilíbrio para o filme, dirigido pr Alan Parker, estrelado por Madonna, Antonio Banderas e Jonathan Pryce.

Em Combate
elisasantos

Marcas no meu corpo! Mar de  pensamentos 
Suscita   tua presença
És  linha que  demarca meu peito
Separa  céu do inferno e oásis dos desertos

Tornas imponderáveis o errado e o certo
Diluí
  meus conceitos e dos meus feitos
co-autor,  tira-me da solidão a dor
Vezes tantas aos lamentos,  em tua presença...

...Lanço-me só ao vento! Em tormentos
Nos redemoinhos de mim, meu ego resoluto
Com ânsias de liberdade, debate-se
Em clamor por autonomia a ti rechaça e...

 Em alerta... Sigo em fuga e mesmo em fuga
Estou em busca... Desse rosto que ao sorrir 
Atiça-me  o viço e a alegria de (con) viver
 Tornando minhas mãos fortes, ávidas detentoras

De fugidios momentos de prazer!

Cantar foi um processo extremamente sofrido para ela, “Evita”, o famoso musical da Broadway, foi escrito para cantoras sopranos, há notas muito altas durante toda a apresentação. Madonna não estava preparada para isso, mesmo tendo melhorado sua voz com o decorrer dos anos o desafio de interpretar as músicas de “Evita”, num primeiro momento, pareceu impossível de ser cumprido com êxito.

Horizonte de Sonhos
Avany Morais
 
Com o olhar perdido no horizonte,
lá, onde os sonhos adormecidos ficam...
Onde venho todas as tardes lhe encontrar!
Busco incansavelmente sua presença, seu olhar...
ou algo que me transporte para os seus braços.
Acabando com esta solidão imensa...
Com esta saudade intensa dentro de mim...
Com esta carência de você, sem fim.
 
Que vazio você deixou em minha alma!
E esta espera incessante que nunca acaba!
E esta ausência tamanha!
Esta vontade insana de ver, tocar, sentir...
Que me tira o fôlego, o ar que respiro!
O que faço com elas?
Que loucura este meu amar!
Ah! Quanta falta você me faz!
 
O tempo não anda, quando se espera.
Principalmente, quando esperamos por algo
que nem mesmo sabemos se um dia virá.
A distância que nos separa, é ínfima,
em se comparando com a distância
que separa os nossos corações...
O seu amor, antes tão meu.
Mas, que hoje, já não o sinto assim.
 
Será que este amor existe?
O meu sim. O seu... Não sei...
Talvez sim, talvez não...
Talvez, tenha sido apenas, uma paixão...
Um entusiasmo passageiro...
Ou quem sabe, foi uma aventura,
que durou um pouco mais do que o esperado!
E que você achou por bem dar como encerrado!
 
Quantas madrugadas felizes passamos juntos!
Quantas madrugadas tenho hoje, para relembrar!
Quantas, tenho agora para amargar a sua ausência,
a falta desmedida que você me faz!
Essa ausência, que em meu peito, dói demais.
Quantas, me fazem companhia, na esperança que apareça,
dando-me a nítida ilusão, que se lembrou de mim.
Queria tanto ter você aqui!
 
Mas, você está, tão infinitamente longe!
Longe... Onde meus olhos não podem enxergar...
Onde minhas mãos não podem jamais alcançar...
Onde, somente em sonhos posso lhe ter, lhe tocar.
Lá, na linha do horizonte vou deixar repousar,
os sonhos, as fantasias, as ilusões... Você.
Até um outro entardecer, qdo em davaneios,
Virei lhe encontrar, para juntos, de amor falar.
 
O primeiro dia das gravações das músicas foi um verdadeiro desastre e Madonna se sentiu completamente incapaz de interpretar o papel, ela voltou ao estúdio no dia seguinte certa de que seria despedida pelo diretor Alan Parker.

Palavras e gestos

Águida Hettwer

A pressa de encontrar, acalenta o peito e afaga a alma, o sentimento sendo revelado aos nossos olhos, aquilo que os versos  e as rimas na sua ânsia não conseguem expressar.

Palavras e gestos de carinho, o coração sendo massageado devagarzinho, feito papel branco recebendo letra por letra, formando estrofes e parágrafos, dando vida, contando histórias do vasto e oculto coração humano.

Sentimento alado, navegando no azul do firmamento, foi sacudido pelo vento mútuos anseios.

Toma minh ´alma, onde as carícias inflamam, suplicam a fluir pelos ares em forma de poesia.

Paira na flor, feito borboleta colorida, esvazia-se nos versos, deixando o peito declamar suas dores, lágrima de pálpebra cansada, desce quente diluindo o coração da gente, destravando as palavras da garganta.

O coração frágil sendo exposto a

Intempérie, a máquina do tempo estagnou no mesmo lugar que paramos, onde deixamos nossas marcas fixadas em cada átimo de segundo.

Na face tênue plissar, no olhar a ternura dos dias, transição de almas no beijar das mãos, versejarem o amor em palavras e gestos.

Conforme as gravações se seguiram Madonna recuperou a auto estima e colocou na prática tudo o que havia aprendido nas intensas aulas de canto que teve durante alguns meses antes. No fim deu tudo certo e Madonna pode interpretar a maioria das músicas da maneira como elas foram originalmente concebidas, cantando com notas mais altas do que estava acostumada.
O filme saiu e mesmo com seu formato inusitado, não há diálogos no filme, somente música, fez sucesso e ganhou alguns Golde Globe no ano sguinte, melhor filme e atriz para a Madonna.

AMOR SELVAGEM
Neila Costa


Na razão alienada da emoção
Enrosco-me nesse amor selvagem.

Entre risos longos e fartos
Desfaço meu olhar que rasga
Céus e terras...

Nesse amor onde rola
Sons em abraços
A vida fica sem espaço
Em corpos que se refazem
Da euforia.

Farto-me nesse amor selvagem
Que na primavera brota flor
Em sorriso.

Nesse recanto onde adormeço
Meu cansaço, rejuvenesço em alma
E respiro o que embebe
Meu ser em juízo.

A indicação ao Oscar tão esperada pela Madonna acabou não acontecendo, sendo Dianne Keaton nomeada por um papel menor num filme pouco conhecido. Debbie Reynolds, veterana atriz de Hollywood, também esperava ser indicada por uma atuação brilhante num filme que marcava a sua volta ao cinema, fez um comentário irônico e engraçado, dizendo que ela, Madonna e a Barbra Streisand, outra injustiçada desse ano, tinham entrado num grupo de terapia para não indicados ao Oscar.

Ladrão de palavras

(ANDRE LUIS AQUINO)
 
Sinto que muito
Do que escrevo me é revelado
Por uma outra parte de mim
E sei que
Meus versos vão me perguntar
Em poucos anos
Se tudo o que escrevi
Fez-me enxergar outros planos

E quando conto a minha história
Minhas palavras são telepáticas
Sou um estranho aos seus olhos
Mas familiar ao seu coração

Tudo que estava fora do lugar
Eu vivo agora para consertar
Como a correnteza do rio
Levando o seu barquinho
De volta pro mar

Alguém me disse
Que poetas tem o dom
De transformar as idéias em palavras
Da alma coletiva que dividimos

No seu delírio lírico
Sonho empírico,desejo onírico
O poema chega a se apoderar
Dos pensamentos de quem o lê
Vai traduzindo seus sonhos
E misturando com os do poeta

E no final ficamos pensando
Que nos seus poemas o poeta
É só um ladrão de palavras
E mais nada


Trilha Sonora

A trilha do filme saiu em duas edições diferentes, uma simples com as 19 melhores músicas do filme e uma edição dupla com toda a trilha sonora do filme. No Brasil foram lançadas as duas versões, a versão simples ainda é facilmente encontrada, mas a dupla além de estar ficando mais rara tem sido vendida por um valor consideravelmente alto.
Na capa da edição simples temos Madonna e Antonio Banderas, Antonio de costas para ela e Madonna apoiada nele com uma expressão sofrida e a foto tratada com um efeito de sépia.

Enquanto sonho...

Lu Oliveira

Enquanto sonho
o mundo cochila
as sombras acordam
a noite avança
as horas passam.
Enquanto sonho
a guerra fere
homens matam
crianças choram
as horas passam.
Enquanto sonho
bares cheios
cheias taças
corpos se unem
a paixão exalta
as horas passam.
Enquanto sonho
nasce uma criança
brota um jardim
aves voam
sorrisos ecoam
as horas passam.
Enquanto sonho
vivo teu cheiro
sinto tua voz
sonho teu sonho
perco meu sonho
as horas passam
os sonhos passam
a vida passa
enquanto sonho...


"Don't Cry For Me, Argentina" (Não chores por mim, Argentina) é a canção mais reconhecida da peça musical de 1978 Evita, com música de Andrew Lloyd Webber e letras de Tim Rice.
Cantada pela personagem-título Eva Perón, foi originalmente entitulada como "It's Only Your Love Returning", antes de Rice ter decidido colocar o título eventual.
Gravado primeiramente por Julie Covington em estúdio no ano de 1976 e foi interpretado por Elaine Paige nos palcos, quando a peça estreou em 21 de junho de 1978.
A cantora Madonna gravou a canção em 1996 para a versão para as telas do musical, no qual ela interpreta a personagem principal. A versão de Madonna foi gravada nas línguas inglesa e espanhola para ser lançado como um bem-sucedido single em 1997.
Foi gravado por vários artistas através dos anos, incluindo The Carpenters, Olivia Newton-John, os Shadows (todos em 1978), Joan Baez (em 1980), Sinead O'Connor (em 1992), Sarah Brightman, Mike Flowers Pops (ambos em 1996, Me First e os Gimme Gimmes (ambos em 1999).
Paloma San Basilio Valeria Lynch e Nacha Guevara gravaram uma reconhecida versão da canção em espanhol (entitulada No Llores por Mí, Argentina), que se tornou muito patriótica na Argentina. A canção foi também gravada em outras línguas.

Enquanto a Cidade Dormia

Mercêdes Pordeus


Enquanto a cidade dormia...
Alhures algo sempre acontecia
Era natural...a vida corria
O tempo não pára, se distancia.

Enquanto a cidade dormia...
Em cada quarto um sonho, um desenlace
Porém, e lá fora? Muita coisa acontecia
Ações más, ações boas, outras se reverencia.

Enquanto a cidade dormia...
Lá fora, uns as leis tragrediam
Burlando assim a cidadania
E então a maldade prevalecia.

Enquanto a cidade dormia...
Outros, dos irmãos se compadeciam
Ao seu encontro, levando “sopão” sempre iam
Onde necessitados já esperavam o pão.

Enquanto cidade dormia...
Alguns do seu tempo desprendiam
Para ouvir o irmão que sofria
Uma palavra de amor lhe proferiam.

Enquanto a cidade dormia...
Em cada canto uma saudade, uma alegria
A tristeza dos que ficaram para trás,alguém sofria
Uma partida, um amor platônico, se despedia

Enquanto a cidade dormia
Lá fora muita coisa acontecia
Uns praticavam o mal outros o bem
As horas corriam, e outro dia amanhecia.

Don't cry for me argentina
by Evita
(Eva:)
It won't be easy, you'll think it strange
When I try to explain how I feel
That I still need your love after all that I've done
You won't believe me
All you will see is a girl you once knew
Although she's dressed up to the nines
At sixes and sevens with you
I had to let it happen, I had to change
Couldn't stay all my life down at heel
Looking out of the window, staying out of the sun
So I chose freedom
Running around, trying everything new
But nothing impressed me at all
I never expected it to

{Chorus:}
Don't cry for me Argentina
The truth is I never left you
All through my wild days
My mad existence
I kept my promise

Don't keep your distance
And as for fortune, and as for fame
I never invited them in
Though it seemed to the world they were all I desired
They are illusions
They are not the solutions they promised to be
The answer was here all the time
I love you and hope you love me
Don't cry for me Argentina

{Chorus}

Have I said too much?
There's nothing more I can think of to say to you.
But all you have to do is look at me to know
That every word is true

Pesquisa sites:

http://www.magossi8.hpg.ig.com.br/evita.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Evita

http://www.mibsasquerido.com.ar/Personagens02.htm

Setembro de 2006

Edição TTNeves- Arte Rivkah